Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Promiscuir

verbalizado por Fábio, em 22.10.07

Neste momento,s e leram o titulo, vocês estão a pensar: "Promiscuir? Isso existe?" e eu respondo: não, não existe, mas eu sou idiota o suficiente para fazer um post suportado num verbo inexistente... De maneiras que (ou "a modos que", como preferirem) fiz este post, porque numa daquelas minhas aulas de português apareceu a palavra "Promiscuo" e eu pensei "Vou matar esta mosca que me anda a chatiar há uma data de tempo..." e também pensei "Isto o que era giro, era haver um verbo desta palavra, porque eu conheço pessoas que se encaixam perfeitamente no seu significado..." E lá continuei a matutar nisto, até que a matei. À mosca. Porém, a curiosidade falou mais alto e lá libertei a ignorância que abunda dentro de mim "Existe um verbo de promiscuo?" Pergunta à qual a resposta foi um, curioso, "Não". E eu tudo bem. A professora explicou-me que existia Imiscuir que era quase a mesma coisa mas eu sou um gajo teimosos. Para quê fazer um post sobre um verbo que existe, quando já se fez isso 26 vezes neste blog? Há com cada uma...

 

Bom... como não há verbo de promíscua, eu explico o que é que a palavra propriamente dita, significa: misturado; ndistinto; confuso...

Para ficarem a perceberem melhor imaginem a seguinte situação:

"Oh Antunes, então e se hoje fossemos às promiscuas?"

Esclarecidos? Ainda não? Então vá:

"Boa noite minha promiscua, quanto é?"

"Maria, levas-me um pontapé nessa boca que te viro a promiscua da cara ao contrário..."

"É penalty, filho duma senhora extremamente promiscua!"

Aposto que com esta última ficaram a perceber que promiscua é o memso que dizer meretriz, rameira, pêga... etc...

Agora é aquela parte que eu ponho aqui um video que só podia ser este:

 

'Ca lindos!

 

Enfim..., para todos aqueles que me mandam mails, cartas, sms's, flores, chocolates, bombas, medicamentos para aumentar a potência sexual, para aqueles que me ligam a dizer "Vamos matar-te!" ou "Cura-te": promiscuem-se para aí! 

 

Obrigado a todos os visitantes do blog por ainda continaurem a ver tristezas como esta. A..
Obrigado aos 10 visitantes do blog por ainda continaurem a ver tristezas como esta. Hum...
Obrigado ao sr Anótnio da Merciaria e à minha mãe por ainda continaurem a ver tristezas como esta.

 

Ficamo-nos pela minha mãe que ao sr. António cortaram-lhe a internet...

Autoria e outros dados (tags, etc)

verbalizado às 21:57

Brincar

verbalizado por Fábio, em 09.10.07

Brinco com os meus amigos. Gosto de os divertir, gosto que me divirtam, gosto que me animem. Mas brinco de forma inofensiva. Não gozo com eles. Não brinco com os seus sentimentos. E é isso que muitas pessoas fazem comigo. Brincam com os meus sentimentos. Porquê? Porque é que é assim? Talvez por eu nunca ter sido feliz... talvez por ser um fraco e um farrapo que para aqui anda. Não gosto que brinquem comigo, mas o que é que eu posso fazer? Nada. As pessoas fazem o que querem comigo, fazem de propósito para me deixar triste, em baixo poruqe sabem que fazendo certas e determinadas coisas, eu fico assim. Porquê? Porque é que os outros são felizes e eu não? Porque é que a vida é injusta?

 

Brincar é um verbo transitivo e intransitivo que significa: Transitivo: dançar; enfeitar a capricho; rendilhar (o estilo). Intransitivo: divertir-se infantilmente; folgar; saltar alegremente; gracejar, zombar; não levar as coisas a sério. Significa deixar-me triste. Mal. A sofrer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

verbalizado às 18:00

Fraquejar

verbalizado por Fábio, em 07.10.07

Antes suportava tudo agora deixou de ser assim. Sinto que fraquejei. Estou mais fraco. Talvez porque os problemas são mais do que a capacidade e força que tenho para os resolver...

 

Numa edição posterior deste post, hoje 9/10/2007, não me sinto muito melhor do que no dia em que o escrevi. Venho apenas dizer-vos que fraquejar é um verbo intransitivo e significa  tornar-se fraco; afroixar; perder o ânimo, a coragem ou o vigor; desanimar; desfalecer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

verbalizado às 17:41

Chorar

verbalizado por Fábio, em 07.10.07

Sinto-me mal e choro. Ninguém imagina o que estou a sentir neste momento. Porque é que os pais nos fazem estas coisas? Porque é que não posso ser feliz? Porque é que a vida é assim?

 

Chorar é um verbo transitivo e intransitivo que direi o siginificado numa próxima edição do posto. Hoje fico-me por aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

verbalizado às 00:40

Faltar

verbalizado por Fábio, em 03.10.07

É sempre assim: coisa boa, coisa má, coisa boa, coisa má, coisa boa, coisa má... Sempre! Acontecem coisas boas e logo a seguir coisas más... enfim... como diz a Joana, o que me está a faltar é o Teatro, os Retis!

 

Faltar é um verbo intransitivo que significa: não haver; haver falta; estar ausente; não comparecer; desaparecer; morrer; não cumprir o prometido; ser preciso; desamparar, não auxiliar; cometer faltas; pecar; delinquir.

A vida é feita de faltas. De faltas nossas. Às vezes apetece-me faltar à vida... por muito macabro que isto pareça. Sim. Sinto que me falta qualquer coisa para me completar, falta-me sorte, falta-me amor, faltam-me mimos, falta-me equilibrio... Sei que às vezes também falto, toda a gente falta, que atire a primeira pedra quem nunca faltou. Mas as faltas que damos não podem ser comparadas as faltas que sentimos e que temos...


Prontos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

verbalizado às 22:46

Dedicar

verbalizado por Fábio, em 02.10.07

Depois de ouvir o Quim Roscas e o Estacionâncio a cantar esta música muitas vezes, lá consegui apanhar um verbo, para a conseguir encaixar (á musica) no meu blog. Até que faz sentido... Oiçam e digam-me lá: não conhecem ninguém a quem dedicar? eh eh!

 

Dedicar deriva do latino dedicare é um verbo transitivo e reflexo que significa: Transitivo: votar; consagrar; tributar; oferecer afectuosamente; pôr ao serviço de; aplicar; empregar; destinar. Reflexo: devotar-se; sacrificar-se; aplicar-se, empenhar-se; entregar-se; dar-se.

Querem a letra? Cá vai:

Tu partis-te,
Deixaste-me só.
Disseste que eu não servia,
Que eu era um tótó.
Arranjaste outro e dele foste atrás,
Esqueceste-te das promessas que fizemos ao São Braz

Não quiseste mais saber o que eu estava a sentir,
Decidiste dar de frosques e deixar-me a ganir!

Sua Burra!
Tu é que estás a sofrer!
Sou um homem bem jeitoso,
P'ra arranjar outra mulher.

Estás sozinha,
Estás triste, ninguém te quer,
Ninguém gosta de um texugo disfarçado de mulher

Andarilho,
Sai daqui, põe-te a mexer,
Desampara-me a loja,
Sai daqui, vai-te f****.

Não quiseste adimitir
Que eu era o homem da tua vida,
Preferiste antes fugir
E andar toda f*****!

Avisei-te que o teu homem era eu!
E antes quiseste outro...!
Vai p'ra p*** que pariu!

Não quiseste mais saber o que eu estava a sentir,
Decidiste dar de frosques e deixar-me a ganir!

Sua Burra!
Tu é que estás a sofrer!
Sou um homem bem jeitoso,
E já tenho outra mulher!

Tu partis-te,
Deixaste-me só.
Disseste que eu não servia,
Que eu era um tótó.
Arranjaste outro e dele foste atrás,
Esqueceste-te das promessas que fizemos ao São Braz.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

verbalizado às 22:04




Anúncios


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2007

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031



Verbos mais conjugados





visitar


Mais sobre mim

foto do autor